Sobre estas flores, caminhavam rapando as ervas, as belas rainhas das montanhas que deixaram estas flores rosas para me embrolharem em puras carícias que nada desfaz

 

 

Esta flor brotou do chão para saudar o Ventor, mostando toda a sua beleza coberta com o pó que os ventos, empurrados por outros desígnios a vão vestindo. Olhando-a, observando-a, eu vi nela o rosto sorridente da Senhora da Peneda

 

 

Uma flor que nunca tinha visto na minha serra. Ela nasceu no cimo da Corga da Vagem, junto à primeira nascente. Ela prossegue a sua caminhada ao lado da sua irmã mais velha, azul como o manto da Senhora da Peneda

**********************************



Estou sempre bem entre as flores, onde quer que nos encontremos. Mas, sempre, sob os auspícios do meu amigo Apolo

publicado por Ventor às 16:45